Biologia - vol 4 - 3º ano


Caderno do Aluno
ensino médio 3º série
Biologia


SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1

COMO OS SERES HUMANOS EVOLUÍRAM?

Páginas 3 - 5

1. Espera-se que os alunos identifiquem a segunda imagem como a mais próxima do

conceito de “árvore” apresentado por Darwin. Ela evidencia as relações de

parentesco e a complexidade do processo.

2. A primeira imagem traz uma visão linear do processo evolutivo, a ideia de ascensão

unidirecional da vida a partir de uma suposta “substituição” das espécies, e o ser

humano atual como produto final desse processo; diverge, portanto, da teoria mais

aceita atualmente.

3. Os parentes mais próximos dos humanos são os Australopithecus, que teriam se

separado há, aproximadamente, 5 milhões de anos.

Páginas 5 - 6

1. A principal semelhança corresponde à presença de cinco dedos separados e polegares

totalmente desenvolvidos e oponíveis, característica restrita aos grandes macacos

(orangotangos, gorilas e chimpanzés) e aos humanos. São muitas as diferenças entre

a mão do chimpanzé e a mão humana, não só nos ossos como nas articulações. Na

figura é possível identificar a diferença no comprimento dos dedos: nos chimpanzés

os dedos são mais longos e curvos, o que facilita a capacidade de agarrar galhos de

árvores, enquanto os dedos humanos são mais curtos e robustos. Vale destacar que o

polegar dos chimpanzés é pequeno, fraco e relativamente imóvel.

2. A pélvis humana é curta e mais ampla e a coluna, mais ereta. O ângulo das pernas,

em relação ao da cintura pélvica (bacia), é adaptado para suportar a massa corpórea.

3. Visão binocular, dedos oponíveis; membros do corpo e mãos adaptados para

pendurar-se, saltar e balançar-se nos ramos; habilidade para pegar e manipular

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

objetos pequenos usando dedos com unhas em lugar de garras; vida familiar e

cuidados com a prole.

4. Algumas possibilidades de resposta: maxilares menos proeminentes; aumento do

volume do crânio; postura ereta – as mãos liberadas das funções de locomoção

passaram a ser usadas para manejar armas de caça e ferramentas; desenvolvimento

da comunicação e da fala; vida social complexa.

5. Bipedalismo significa postura ereta, locomoção sobre duas patas, portanto, a pélvis

dos seres humanos está mais adaptada ao bipedalismo.

6. Espera-se que os alunos associem as mãos e a postura mais curvada com a vida nas

árvores.

Página 7

Alguns cientistas indicam que a linhagem humana surgiu em ambientes de floresta

que se transformaram em savanas. Outros apostam que esse surgimento aconteceu ainda

nas grandes florestas.

Segundo a hipótese das savanas, apresentada no enunciado, o clima teria esfriado e

se tornado mais seco. Isso, somado às mudanças do relevo no Rift Valley (montanhas no

leste africano), teria transformado a floresta em savanas1. Assim, os símios que viviam

na região teriam selecionado características que favoreciam o hábito terrestre, como o

bipedalismo, os hábitos sociais e a comunicação.

Professor, há diversos documentários que ilustram a evolução biológica humana.

Entre eles, O nascimento da mente humana, Em busca de nossos ancestrais e Grandes

transformações.

Neste caso, eventos geológicos levaram à formação da cadeia de montanhas que mudou o clima local,
diminuindo drasticamente o regime de chuvas e tornando o ambiente mais seco e impróprio às florestas.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

Páginas 7 - 8

1. Alternativa c.

2. Alternativa b.

3. Alternativa c.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2

A ESPÉCIE HUMANA E SEUS ANCESTRAIS

Página 8

• Resposta pessoal. É o momento de avaliar o que os alunos já sabem sobre o assunto.

Fique atento a respostas do tipo: macacos, chimpanzés, gorilas. Elas denotam a visão

que os alunos têm do tema.

Páginas 9 - 11

1. Os ancestrais citados no texto são os Australopithecus.

2. O bipedalismo.

3. A importância desses fósseis está naquilo que podem revelar sobre a ancestralidade

humana, reforçando a tese de que os seres humanos e os chimpanzés tiveram

ancestrais comuns.

4. Espera-se que os alunos relacionem a ideia de “quebra-cabeça” à complexidade do

processo de reconstrução da evolução humana, suas lacunas, incertezas e à existência

de documentário fóssil disperso e incompleto.

Página 11

• Resposta pessoal. Embora o texto trate de uma fraude, que é um aspecto a ser

discutido com os alunos, essa temática possibilita a retomada do assunto abordado no

Caderno do volume 3 sobre os riscos de encarar as teorias da ciência como “verdades

absolutas”. Aproveite a oportunidade para conversar sobre revelações científicas

sensacionalistas que, muitas vezes, aparecem na mídia, confundem a população e,

depois de algum tempo, são contestadas ou aprimoradas com base em novas

pesquisas, debates acadêmicos e com a sociedade.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

Página 12

Pesquisadores ingleses fizeram a reconstituição do crânio de Luzia e notaram que ela

tinha traços tipicamente negróides, muito diferentes dos índios atuais. A partir daí,

alguns pesquisadores passaram a buscar mais evidências que confirmassem a origem

africana dos primeiros americanos. Aproveite a oportunidade e converse sobre a origem

do povo americano.

Páginas 12 - 13

• Sequência evolutiva: 3 (Australopithecus) 1 (Homo erectus Pequim) 4 (Homo

sapiens neanderthalensis) 2 (Homo sapiens sapiens moderno).

Essa sequência expressa uma ordenação cronológica de surgimento e não relações

evolutivas, de parentesco, propriamente dito.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

Páginas 13 - 14

Resposta possível:

Fonte: RAW, Isaias; MENNUCCI, Lélia; KRASILCHIK, Myriam. Biologia e o homem. São Paulo: Edusp, 2001.

Produção de texto

Página 15

Acredita-se que o desenvolvimento de uma cultura é de extrema importância para o

desenvolvimento da espécie humana. Este seria, inclusive, um dos traços que definiriam

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

a espécie. Cultura pode ser entendida como toda criação e atividade humanas

governadas por costumes e regras sociais, como, por exemplo, a tecnologia, a

linguagem, a arte e a própria ciência.

A cultura tem diversos aspectos que podem influenciar nosso desenvolvimento, e das

maneiras mais variadas. Algumas delas são apresentadas a seguir:

Linguagem oral e o pensamento abstrato: o desenvolvimento do cérebro,

principalmente da região do córtex, que é responsável pelo pensamento abstrato,

permitiu ao ser humano desenvolver um aspecto cultural muito importante, a

linguagem. A linguagem é a função mental simbólica suprema. Por meio da linguagem,

é possível exprimir nossos pensamentos, transmitir informações complexas, sobre o

passado, o futuro, favorecendo o cooperativismo e a socialização.

Ferramentas: o uso de ferramentas não é exclusivo dos seres humanos ou dos

hominídeos. Chimpanzés e gorilas também fazem uso desses artefatos, principalmente

na obtenção de alimentos. No entanto, os humanos se distinguem desses outros animais

por utilizarem ferramentas para fazerem outras ferramentas. O ser humano aperfeiçoou

tanto esta técnica que passou do uso de ferramentas de pedra lascada, há 2,5 milhões de

anos, para a utilização de metais na produção, há 7 mil anos.

Uso do fogo: o desenvolvimento do cérebro, sem dúvida, ajudou na adaptação dos

seres humanos aos mais diversos ambientes e climas. Em razão do intelecto, os

hominídeos puderam se espalhar pelo globo de uma forma que, até então, nenhum outro

animal tinha feito. O uso de cavernas como abrigo permitiu o acesso dos seres humanos

a áreas que apresentavam clima muito frio. Com a diminuição do tempo de digestão,

devido ao consumo de alimentos cozidos, o tempo livre pode ser utilizado na caça,

convivência social, arte, entre outras atividades que favoreceram a socialização.

Professor, há um documentário exibido pela TV Escola que explora bem o

desenvolvimento da cultura, chama-se “A arte moldou o mundo” 1º episódio.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

Páginas 15 - 16

1. Espera-se que os alunos mencionem a capacidade de elaborar e acumular

conhecimento e as estratégias de adaptação e sobrevivência como responsáveis pelo

poder do ser humano.

2. A postura ereta facilitou ao ser humano um aperfeiçoamento dos braços e mãos e

permitiu a manufatura de instrumentos de caça. Também permitiu que olhasse sobre

toda a vegetação, favorecendo a localização de predadores e presas. Além disso, é

possível relacionar as habilidades manipulativas das mãos e o desenvolvimento do

cérebro.

3. A descoberta do fogo permitiu ao ser humano explorar novos ambientes. Facilitou

sua sobrevivência ao frio e a produção de armas mais eficientes, além de possibilitar

o cozimento dos alimentos, mais tempo livre e aperfeiçoamento da vida social.

4. Alternativa e.

Páginas 16 - 17

1. O DNA mitocondrial favorece a investigação da evolução da espécie uma vez que é

transmitido às gerações seguintes pelo óvulo, por meio da chamada herança

citoplasmática, exclusiva das mulheres, formando uma matrilhagem. Por ser uma

molécula relativamente pequena, sua taxa de mutações é várias vezes mais rápida em

relação ao DNA nuclear. Como não há recombinação na transmissão, sua integridade

genética é totalmente mantida, a não ser pelas mutações. Se considerarmos que as

mutações ocorrem aleatoriamente em uma taxa relativamente constante, o estudo das

variações genéticas geradas pode ser utilizado como relógio biológico, isto é, a

variabilidade genética é diretamente proporcional à antiguidade. O mesmo vale para

o cromossomo Y que é transmitido diretamente dos pais para os filhos homens.

2. As análises cromossômicas permitem traçar linhas evolutivas. Por meio do estudo da

variabilidade do DNA mitocondrial e do cromossomo Y se estabelece o grau de

parentesco nas populações atuais e, por consequência, a antiguidade relativa de cada

ramo populacional.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3

A INTERVENÇÃO HUMANA NA EVOLUÇÃO,
AS TRANSFORMAÇÕES NOS AMBIENTES
E O FUTURO DA ESPÉCIE HUMANA

Para começo de conversa

Páginas 18 - 20

1. Espera-se que os alunos relacionem características dos animais às suas necessidades

ou gostos pessoais.

2. Resposta pessoal. Porém, deve refletir as ideias gerais dos alunos.

3. Espera-se que os alunos relacionem características dos vegetais às suas necessidades

ou gostos pessoais.

4. Espera-se que os alunos identifiquem a seleção de plantas e animais segundo

características de interesse. Inicie uma conversa com a turma retomando a fase

nômade dos seres humanos e ressaltando que o desenvolvimento da agricultura, da

pecuária e da domesticação dos vegetais e animais foram fatores que favoreceram o

sedentarismo e o desenvolvimento das aldeias e, posteriormente, das cidades.

Destaque a alimentação como uma das maiores preocupações da espécie humana. Os

primeiros grupos humanos eram nômades, isto é, mudavam de local com muita

frequência em busca de alimento. Apenas há dez mil anos aproximadamente se

iniciou o desenvolvimento da agricultura, da pecuária e da domesticação de animais.

Provavelmente, com base na observação da reprodução natural de plantas e animais,

nossos ancestrais descobriram como cultivar plantas e como criar animais.

Os descendentes do processo reprodutivo podem apresentar características muito

distintas, e nossos ancestrais não se limitaram a cultivar plantas e criar animais, mas

aprenderam também a selecioná-los segundo suas características favoráveis,

direcionando sua reprodução, ou seja, fazendo uma seleção artificial. Essa chamada

“melhoria” genética elimina características indesejadas e mantém as que são úteis e

desejáveis.

Os processos de criação e cultivo também favoreceram a hibridização, isto é, a

mistura de variedades diferentes. O milho que consumimos hoje é derivado de um

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

processo de hibridização: ele é macio e possui sementes grandes, ao contrário do

milho utilizado pelos primeiros agricultores, que produzia espigas pequenas e duras.

No caso do trigo, outro exemplo de domesticação, a Triticum monococcum (espécie

primitiva que originou as outras) deu origem, por hibridização com outro tipo de

gramínea (Aegilops searsii), à espécie Triticum turgidum, precursora da espécie do

trigo duro (Triticum durum). Este foi selecionado e até hoje é cultivado pelos seres

humanos por causa da dureza do grão e alto teor de glúten. Outra espécie selecionada

e cultivada em razão do alto teor de amido é a Triticum aestivum, que se originou de

cruzamentos entre Triticum turgidum e Triticum tauschi.

5. Reprodução assexuada, que mantém as características parentais.

Páginas 20 - 22

1. As diversas raças de cães resultaram da seleção de filhotes de lobos cinzentos e

chacais. Provavelmente os seres humanos perceberam que havia certos lobos que se

aproximavam mais do que outros e reconheceram certa utilidade nisso, pois eles

davam alarme da presença de outros animais selvagens, como outros lobos ou

grandes felinos. Eventualmente, alguns filhotes foram capturados e levados para

esses acampamentos humanos, na tentativa de serem criados ou domesticados.

Os animais que, ao atingirem a fase adulta, se mostravam ferozes e não aceitavam a

presença humana eram descartados ou impedidos de se acasalar. Desse modo, ao

longo do tempo, houve uma seleção de animais dóceis, tolerantes e obedientes ao ser

humano, aos quais era permitido o acasalamento e que, quando adultos, eram de

grande utilidade, auxiliando na caça e na guarda do acampamento. Isto levou

eventualmente à criação dos cães domésticos.

2. Selecionando para reprodução apenas os que apresentam a característica de interesse.

3. Espera-se que os alunos identifiquem a criação de raças artificiais de muitos animais

– cães, bois, porcos, galináceos etc. De plantas, se tem o trigo, o tomate, o arroz, o

feijão. Na realidade, admite-se que todas as plantas utilizadas agricultura foram, em

maior e menor grau, melhoradas geneticamente.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

Páginas 23 - 24

1. O processo de melhoramento genético baseia-se na seleção dos animais que

apresentam as melhores características; os selecionados são cruzados entre si e

transmitem essas características para seus descendentes.

2. As aves apresentam problemas de locomoção, tornando-se totalmente dependentes

dos seres humanos para se alimentar.

3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos identifiquem aspectos negativos do

melhoramento, por exemplo, aqueles que tornam animais dependentes dos seres

humanos, assim como a perda da biodiversidade. Como aspectos positivos, podem

ser indicados o aumento na produção de alimentos e a melhoria da qualidade dos

produtos.

Página 24

• O aumento dos casos de tuberculose multirresistente. A tuberculose é uma doença

infecciosa pulmonar muito grave. Se a bactéria multirresistente continuar se

espalhando, haverá mais mortes entre os seres humanos.

Página 25

1. A tuberculose é causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis.

2. A tuberculose é uma doença infecciosa que, sob prescrição médica, pode ser

combatida com antibióticos.

3. A tuberculose se dissemina através de gotículas de saliva presentes no ar, que são

expelidas quando pessoas doentes tossem, espirram ou falam.

4. Espera-se que os alunos identifiquem a resistência aos medicamentos como fator de

risco para o aumento da prevalência da tuberculose, doença que pode levar ao óbito.

Espera-se, também, que os alunos relacionem a teoria da seleção natural ao

crescimento da resistência aos antibióticos.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

5. Com frequência, os médicos prescrevem antibióticos para seus pacientes, mas o uso

inadequado pode selecionar bactérias resistentes. As que prevalecem se reproduzem

e transmitem essa característica para as descendentes, sobre as quais aquele

antibiótico não terá mais efeito.

Página 26

Espera-se que as respostas dos entrevistados possam refletir o modo como as pessoas

utilizam esses medicamentos. É comum observar que frequentemente o uso de

medicamentos é inadequado, o que pode selecionar linhagens de bactérias resistentes.

Uma boa possibilidade é solicitar que os alunos entrevistem atendentes em farmácias.

Muitas vezes, eles acabam “receitando” remédios.

Página 27

1. Espera-se que os alunos identifiquem os avanços da Medicina e da Farmacologia

como fatores que minimizam a atuação da seleção natural e permitem o tratamento

de doenças que antes causavam a morte dos indivíduos.

2. Outros fatores, como saneamento básico e alimentação, também atuam no aumento

da longevidade, pois interferem diretamente na qualidade de vida da população.

Páginas 27 - 28

1. No caso das doenças genéticas, medicamentos ou tratamentos especiais minimizam

os efeitos de genes que são naturalmente deletérios. Mas os genes que causam essas

doenças continuam a ser transmitidos para os descendentes, mantendo-se na

população, isto é, não são eliminados com seus portadores.

2. Espera-se que os alunos identifiquem os avanços da medicina como fatores

evolutivos, uma vez que interferem na variação da frequência gênica e contribuem a

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

longo prazo com a evolução dessa população. Dessa forma, podem concluir que a

evolução está acontecendo continuamente ao nosso redor.

Páginas 29 - 30

1. São respostas possíveis: a facilidade de transmissão do vírus, as aglomerações

urbanas, o trânsito mundial de pessoas e mercadorias e a fragilidade de sistemas da

vigilância sanitária.

2. Espera-se que os alunos concordem, pois a distribuição indiscriminada da droga não

é garantia de conter todos os vírus. Pode ainda favorecer o espalhamento dos vírus

resistentes ao medicamento, impossibilitando tratamentos futuros com a mesma

droga.

3. Como são patógenos novos, ninguém pode dizer com exatidão o que eles farão,

tampouco prever o rumo da pandemia.

Páginas 30 - 35

1. As duas questões centrais são: o que estamos fazendo aqui? Qual nosso papel no

mundo?

2. O autor considera que, embora os seres humanos sejam indivíduos muito simples,

formamos um complexo muito maior denominado Homo sapiens, e a principal

função, como humanos, é cooperar para perpetuar nossa espécie.

3. Espera-se que os alunos compreendam que o conceito de espécie está relacionado a

um conjunto de indivíduos que apresentam determinadas características e, mesmo

que os indivíduos que compõem determinada espécie não existam mais, as

características são transmitidas para seus descendentes. Todas as espécies tiveram

uma origem comum e, embora a espécie entre em extinção, as características

permanecem em outras espécies.

4. Podemos citar diferenças biológicas relacionadas ao bipedalismo, ao cérebro

desenvolvido e à habilidade manual. Entretanto, a grande diferença entre os seres

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

humanos e as outras espécies está na capacidade de acumular e transmitir

conhecimento, ou seja, na sua herança cultural.

5. Os problemas ambientais e a desigualdade social.

6. A alta capacidade mutagênica do vírus favorece o surgimento de novas variedades

que podem se espalhar e causar muitos danos à humanidade.

7. O autor propõe que os seres humanos se identifiquem como parte da natureza, parte

do sistema, e que todos tenham condições adequadas de sobrevivência. A segunda

resposta é pessoal.

Páginas 36 - 38

1.

a) Os cães domésticos passam por uma seleção artificial por meio de cruzamentos

realizados pelos seres humanos, enquanto os cães selvagens são naturalmente

selecionados pelo meio.

Raças ou subespécies, porque podem produzir descendência fértil.

b)

c) Os vira-latas apresentam mais variabilidade genética porque resultam de

cruzamentos ao acaso. Uma composição genética mais variável confere uma

versatilidade maior para enfrentar mudanças do ambiente, entre elas, as doenças.

2.

a) A afirmação é verdadeira, pois os antibióticos podem atuar como agentes

selecionadores de bactérias resistentes.

b) A aplicação de dois antibióticos simultaneamente é mais eficaz, pois um

potencializa a ação do outro (sinergismo). Um dos antibióticos extermina as bactérias

resistentes ao outro e vice-versa.

3. Alternativa a.

4. Alternativa b.

5. Alternativa e.

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 3a série – Volume 4

Páginas 38 - 39

1. “Os sapos à frente da invasão agora têm corpo menor, toxicidade reduzida e pernas

relativamente maiores, aparentemente porque os indivíduos com esses traços têm

obtido maior sucesso”.

2. Como consequência de seleção nas presas, ocorre uma seleção nos predadores. No

caso das serpentes, são selecionadas as que apresentam bocas menores, pois aquelas

com boca grande comem os sapos venenosos e morrem.

3. O caso da resistência das bactérias aos antibióticos é um bom exemplo.
via: 100 Repetentes