Biologia - vol 4 - 2º ano


Caderno do Aluno
ensino médio 2º série
Biologia


SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1

TESTE DE IDENTIFICAÇÃO PELO DNA

Para começo de conversa

Páginas 3 - 4

1. Resposta pessoal, na qual se espera que o aluno comente seu conhecimento sobre a

técnica de identificação por DNA, estabelecendo, por exemplo, que os DNAs dos

envolvidos são, de alguma maneira, comparados.

2. Respostas pessoais. Porém, espera-se que alguns alunos comentem sobre notícias na

televisão, programas semanais e reportagens em jornais e revistas. Sobre os

materiais, é esperado que os alunos citem sangue, cabelo e sêmen, por exemplo.

Medindo fragmentos de DNA

Página 7

• Nessa técnica, um tipo de gelatina (gel) é utilizado como suporte para separar

fragmentos de DNA de acordo com seu tamanho. Para isso, é produzido um campo

elétrico com polos elétricos sendo colocados nas extremidades do gel (a camada de

gelatina). Os fragmentos de DNA são posicionados próximos ao polo negativo e,

quando a corrente elétrica é acionada, os fragmentos migram para o polo positivo.

Mas, para isso, devem atravessar o gel, que é rico em fibras que dificultam a

passagem do DNA. Os fragmentos menores apresentam maior facilidade para

ultrapassar essas barreiras, chegando antes ao polo positivo. Dessa forma, os

fragmentos de DNA são separados de acordo com seu tamanho.

1

GABARITO

Páginas 9 - 10

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

1. 5, 10, 13, 14 e 23.

2. 12, 19 e 34.

2

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

3. Bentinho.

4. Bentinho

5. Espera-se que os alunos organizem uma história que retrate os personagens da obra

de Machado de Assis. O teste de DNA deve ser um elemento a mais que permitirá

solucionar o caso.

Página 11

1.

Extração: processo pelo qual se isola o DNA de uma amostra através do rompimento

das células.

Quantificação: processo de medição da concentração do DNA, normalmente por

espectrofotometria.

A amplificação é, normalmente, feita pela técnica de PCR, reação em cadeia da

polimerase.

Separação: Eletroforese

Análise e interpretação: Comparação de padrões de bandas.

2. São enzimas (proteínas) que cortam o DNA em sequências específicas

(endonuclease). Algumas enzimas de restrição cortam a molécula de DNA deixando

pontas coesivas. Outras fazem corte cego, sem extremidades coesivas.

Páginas 12 - 14

1. Alternativa c.

2. Alternativa b.

3. Alternativa d.

3

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

4.

a) Falso, pois o exame é possível com o DNA de qualquer célula que o contenha.

b) Falso, pois ele deveria possuir todas as minhas bandas que não são semelhantes

às da minha mãe.

5.

a)

II, III e IV.

b) II e IV, pois existem filhos que não receberam nenhuma banda e aqueles que

receberam as duas bandas, uma de cada pai.

c) Banda A, pois percorreu uma distância maior. Considere que os segmentos

foram aplicados no polo negativo(-) e correram em direção ao polo positivo (+). Isso

porque a molécula de DNA, em solução aquosa, apresenta excesso de cargas

negativas.

6.

a) O cromossomo extra é de origem materna, pois a criança apresenta dois

cromossomos de origem materna e um de origem paterna.

b) A criança 2 (C 2) apresenta 2 cromossomos 21, um de origem paterna e outro de

origem materna. Assim, se pode concluir que ela não apresenta a síndrome.

c) A principal causa das trissomias é a não disjunção cromossômica durante a

meiose na formação dos gametas ou a não disjunção cromossômica durante as

primeiras mitoses do embrião. Em cerca de 85% dos casos de não disjunção

cromossômica, o problema ocorre durante a gametogênese feminina, devido,

principalmente, à idade materna.

Página 15

Criminalística:

• Identificação de suspeitos de crimes.

• Identificação de vítimas a partir de partes do corpo.

4

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

Crimes ambientais

• Diferenciar animais de cativeiro e silvestres.

• Identificar procedência de plantas, como por exemplo, a origem de cargas de

madeiras e animais.

Tráfico de animais silvestres

• Identificar reprodução em cativeiro.

• Diferenciar animais de cativeiro de animais silvestres

Pedigree de animais.

• Estabelecer grau de parentesco entre animais, por exemplo, entre cães, entre cavalos

e bovinos.

Doenças hereditárias

• Identificação de genes responsáveis por doenças hereditárias. Determinação da

probabilidade de uma pessoa vir a desenvolver uma doença hereditária.

Identificação de vírus e bactérias causadores de doenças

• Diagnóstico preciso dos causadores de doenças e possibilidade de tratamentos mais

efetivos.

5

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2

COMO PRODUZIR UM TRANSGÊNICO?

Página 16

• Soja, algodão, milho transgênico.

• Hormônios, insulina e do crescimento.

• Anticorpos monoclonais.

• Vacinas.

Página 16

1. Milho e banana.

2. Não, pois no local da banana encontra-se uma espiga de milho.

3. Resposta pessoal. Porém, espera-se que os alunos apontem características típicas das

duas espécies, como os aspectos nutritivos delas e a proteção da casca da banana em

vez da casca do milho.

Páginas 17 - 18

1. Espera-se que os alunos relacionem o conceito de transgênicos com a possibilidade

de transferência de genes de uma espécie a outra, o que resultaria em novas

variedades, como a representada na imagem.

6

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

2. Uma possibilidade de resposta seria:

Formados por

Que contêm

Seres vivos

Células

Responsáveis por

Características
Biológicas

DNA

Apresenta

GENES

Cuja manipulação

Gera

OGM

Um tipo de

Transgênico

Páginas 19 - 20

1. O texto apresenta os transgênicos como fábricas de vacinas e produtores de

remédios.

2. Nos dois casos, os organismos transgênicos receberam genes de organismos de uma

espécie diferente e passaram a produzir uma proteína que pode ser muito útil à

humanidade.

Páginas 20 - 21

1. É importante que o texto apresente e descreva pelo menos as etapas 1, 2, 3 e 4 da

figura.

2. Os fragmentos de DNA de interesse são produzidos a partir de uma região do DNA

contendo as informações de interesse, que são isoladas utilizando-se enzimas de

restrição que permitem um corte específico.

3. Devido ao corte específico das enzimas de restrição, que separam tanto o DNA da

bactéria quanto o DNA de interesse e produzem extremidades coesivas.

4. Introduzindo esse DNA recombinante no interior de células que podem replicá-lo.

7

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

Páginas 22 - 23

1. O termo “código genético” aparece no texto para dizer que cada indivíduo possui

uma composição de alelos única para os mesmos genes da espécie. No entanto, esse

termo tem outro significado e refere-se à relação entre códons e aminoácidos durante

a tradução. O termo mais adequado, nesse caso, seria “genoma”.

2. Produção de alimentos transgênicos, melhoria da agricultura, terapia gênica.

3. Mesmo apresentando um parágrafo com possíveis ponderações sobre essa

tecnologia, o texto é extremamente favorável aos transgênicos.

Criação de um título

Páginas 23 - 26

Sugestões de títulos: Vacinas Transgênicas; Vacinas de DNA; Vírus do bem;

Transgênicos por todo lado.

1. O autor é favorável ao uso de transgênicos, pois apresenta, ao longo do texto, vários

benefícios gerados por essa tecnologia.

2. De acordo com o texto “Troca-troca genético”, o ser que recebeu o gene da proteína

seria um organismo transgênico. Fernando Reinach o chamou de “organismo

geneticamente modificado”.

3. O Brasil produz toda vacina que consome, não precisando importar esse material de

nenhum outro país.

4. Ele parece ser contrário, pois é irônico no último parágrafo do texto.

5. Troca-troca genético: apresenta o conceito de organismos transgênicos, como são

produzidos e quais suas possíveis utilizações.

Texto de Fernando Reinach: apresenta a produção da vacina anti-hepatite B como

uma grande inovação da ciência pelo uso de OGMs.

6. Resposta pessoal.

8

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

Páginas 26 - 27

• Espera-se que o aluno possa identificar e utilizar os argumentos favoráveis

apresentados pelo autor, assim como os aspectos negativos que julgar convenientes.

É importante que o aluno deixe claro o que são fatos, quais são as informações

fornecidas pelo autor (Fernando Reinach) e as suas opiniões próprias.

Páginas 28 - 30

1. Alternativa e.

2. Alternativa b.

3. Alternativa b.

4.



A resposta é pessoal, mas o critério para a correção é a argumentação baseada

em elementos da própria imagem. Provavelmente, o autor defende a ideia de que a

soja não pode ser plantada no ambiente antes da realização de testes de segurança.

Caso a liberação aconteça, talvez a fauna seja prejudicada. Podemos supor isso pelos

elementos diretos do texto e pela expressão dos animais e da planta, já que parecem

estar “bravos” uns com os outros.

5. Porque a capacidade da linhagem de cruzar com espécies selvagens é praticamente

inexistente.

9

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3

DEBATE SOBRE TRANSGÊNICOS

Construindo argumentos e aprofundando o conhecimento

Páginas 31 - 34

• Empresa de biotecnologia: Resposta pessoal. Porém, espera-se que os alunos

entendam que a empresa utiliza argumentos econômicos, tecnológicos e sociais

(custos, número de empregos, impostos pagos, desenvolvimento de tecnologia).

• Profissionais de saúde: Resposta pessoal. Porém, espera-se que os alunos produzam

argumentos substanciados em informações confiáveis, como

possíveis efeitos dos agrotóxicos e transgênicos à saúde, por exemplo.

• Setor agropecuário: Resposta pessoal. Porém, os alunos devem estar atentos às

questões econômicas, custo de produção e rendimentos, por exemplo.

• Poder público: Resposta pessoal. Porém, o poder público tem papel fiscalizador e

deve zelar pelo Estado e pela sociedade. Entre os argumentos possíveis estão o uso

de recursos públicos, o endividamento, a dependência dos produtores agrícolas e os

impactos sobre o meio ambiente.

Pesquisadores da área de ecologia: Resposta pessoal. Mas, devem chamar atenção

para o desequilíbrio ecológico, bioacumulação, extinção.

testes clínicos,

A carta de consenso elaborada pela turma

Páginas 34 - 35

• Resposta pessoal. Neste caso, devem prevalecer os argumentos mais consistentes,

aqueles que se baseiam em fontes fidedignas e que não expressam apenas a opinião

pessoal dos componentes do grupo.

10

GABARITO

Caderno do Aluno

Biologia – 2a série – Volume 4

Desafio!

Página 39

Exemplo de molécula de DNA montada com os nucleotídeos.

Exemplo de molécula de RNA complementar montada com os nucleotídeos.
via: 100 Repetentes